Rotina – Looping

Qual é o meu lopping?

Antes de tudo, tenho vergonha dele, mas não tenho coragem de mudar:

Acordo, não tomo café da manhã. Tomei banho no dia anterior. Levanto sem fazer barulho, não quero acordar meu filho.
Saio, e fumo. Pego metro, baldeação, metro.
Vou o último trecho do trajeto a pé, fumando e bebendo coca cola.
50 minutos depois, chego no trabalho.
Fumo antes de entrar, sinto minhas pernas “formigando” de ter andado o trecho, e como se fosse o sangue correndo nas pernas.
Respiro fundo, entro. Trabalho. Saio antes das 9 e fumo, antes do meio dia e fumo.
Saio 11:50 para almoçar para não pegar fila, nem pra pegar a comida, nem pra pagar (não curto perder tempo atrás de quem escolhe arroz demais.
Volto rápido, fumo. 12:30 já estou de volta trabalhando para bater as 8h diárias.
Trabalho. 17:00 saio. Fumo.
Pego o ônibus, antes de pegar o metro fumo, baldeação, metro. Chego em casa.
Tomo banho, recebo meu filho, dou banho nele, faço janta pra ele.
Trabalho (?), projeto paralelo da minha atual parceira.
Janto, ou não. Durmo.

Todos os 5 dias assim. Sábado, trabalho, não faço almoço, cuido o meu filho, ou senão trabalho mais, não saio, assisto luciano huck (?). Domingo, acordo tomo café mais ou menos, almoço, cuido do meu filho ou trabalho, não saio, assisto todas as porcarias da globo, incluindo Faustão (?). Não fumo em nenhum dos dois dias do fds. Só se sair de casa para comprar algo, caso contrário não. Tudo isso com dor nas costas que não me larga (isso já é sugestionamento de perpetuação).

Como será:

Acordo, tomei banho no dia anterior.
Escovar os dentes (sim é raro eu escovar os dentes na rotina anterior)
Tomo café com oleo de coco.
Vou para o trabalho, sem cigarro, pego ônibus no último trecho.
Academia, faço exercícios, saio tomo banho.
Entro no trabalho, entendo o que eu faço e que o sistema não vai mudar, não importa quanto eu reclame, se quer sair saia.
11:50 saio para almoçar (salada e proteína, sem grandes quantidades de carboidratos)
12:30 vou no hortifruti e compro o que vou comer no dia seguinte (laranja, mandioquinha, banana e inhame).
Saio do trabalho, as 17 pego onibus, metro, baldeação, metro.
Em casa, tomo banho, faço algum projeto meu (ou ajudo no projeto paralelo da companheira)
Tomo suco de laranja com duas colheres de levedo de cerveja, purê de inhame, mandioquinha e como uma ou duas bananas (bato com kefir).
Recebo meu filho, dou banho nele, e dou a janta.
Trabalho, e lavo o cabelo (dia sim e dia não).
Durmo.

Repete. O ponto aqui é se manter no controle, afinal se eu deixar pro subconsciente ele vai me sabotar, e ignorar a vozinha que fica me colocando pra baixo. A vozinha interna de quem é feliz, fala coisas boas, a minha só crítica e diz que não vou conseguir. Ela tem que ser ou positiva, ou você faz como faz com alguém chato que trabalha com você, só ignora, balança a cabeça concordando mas não dialoga, não compra as idéias, e não convence ela de que está errada.

Depois que aparecerem os resultados, você prova por A + B que consegue e que dá pra fazer.

A sincronicidade que aconteceu enquanto pensava isso: Sincro.

Vamos lá.